sábado, 6 de abril de 2013

Figuras de Linguagem [LITERATURA]

Figuras de linguagem:
Recurso de expressões que consiste no emprego da linguagem de maneira diferente da usual, seja no que diz respeito ao sentido, à posição ou à combinação das palavras.

Classificação das figuras de linguagem:

  • Figuras de construção ou de sintaxe
  • Figuras do pensamento
  • Figuras de palavra ou tropo
  • Figuras de som (melopeia)
Figuras de som, harmonia, ou melopeia:
São aquelas que se associam ao sentido da audição. Vogais e consoantes, combinadas a intervalos mais ou menos regulares, sintetizam correspondências entre som, e sentido.
As principais são:

  • Onomatopeia
  • Aliteração
  • Assonância
  • Paronomásia
Onomatopeia
Consiste numa palavra, ou numa combinação de palavras, cujos sons imitam um outro som.
Exemplo.:       Chove Chuva, Chovendo
O chiadodos /ch/ repetidos e o sopro dos /v/ são a imagem acústica da própria chuva açulada pelo vento.

Aliteração
É o jogo sonoro de consoantes. Consiste na repetição de sons consonantais idênticos.
Vozes veladas, veludozas vozes
volúpia de vilões, vozes veladas
vagam nos velhos vórtices velozes
dos ventos, viva, vãs, vulcanizadas. Cruz e Sousa

Assonância
É o jogo sonoro de vogais.
Ah! um urubu pousou na minha sorte! Augusto dos anjos
Bramindo o negro mar ao longe Brada. Camões

Paronomásia
Consiste no emprego das palavras parônimas.
Berro pelo aterro pelo desterro.
Berro pelo seu berro pelo seu erro.
Quero que você ganhe
Que você me apanhe.
Sou o seu bezerro
Gritando mamãe
. Caetano Veloso.

Figuras de palavras
Mudança do sentido real das palavras para seu sentido figurado. As principais são:
  1. Comparação metafórica
  2. Metáfora
  3. Catacrase
  4. Metonímia [sinédoque]
  5. Perífrase
  6. Sinestesia
  7.  Antonomásia
  8. Símbolo
  9. Alegoria

Comparação metafórica:
Consiste na comparação entre 2 elementos por meio de suas características comuns.
Normalmente a comparação é estabelecida por uma conjunção comparativa.
Sejamos simples e calmos
Como os regatos e as árvores. Fernando Pessoa.

Metáfora
Do grego meta, mudança, alteração + phora, transporte.
Eu sou a borboleta mais vadia
na doce flor
da tua hipocrisia. João Bosco e Aldir Blanc

Metonímia
Do grego metonymia, além do nome, mudança do nome.
Consiste na substituição de um termo por outro com o qual mantém uma estrita relação de significado.
O bonde passa cheio de pernas. Drummond

Catacrese
É  utilização de um termo fora de seu sentido próprio por não haver palavra apropriada para expressar o que se pretende.
Havia comentários interessantes na orelha do livro.

Os pés da mesa não suportaram o peso das caixas.

"O braço do sofá", "embarcar".


Perífrase ou Antonomásia
É o emprego de uma expressão que identifica soisa ou pessoas, salientando suas qualidades ou um fato notável pelo qual é conhecida.
O país do futebol acredita em seus filhos.

O bruxo do Cosme Velho escreveu Dom Casmurro.

Sinestesia
Consiste na mistura de sensações que produzem forte sugestão.
Meu Deus! Como é sublime um canto ardente. Olavo Bilac.
Os carinhos de Godofredo não tinham mais o gosto dos primeiros tempos. 

Figuras de pensamento
As figuras de pensamento caracterizam-se por apresentar idéias diferentes daquelas que normalmente a palavra ou expressão sugere na frase.

  1. Antítese
  2. Eufemismo
  3. Ironia
  4. Hipérbole
  5. Prosopopéia (personificação, animização)
  6. Gradação
  7. Apóstrofe
  8. Paradoxo (oxímoro)
Antítese
Do grego  anti contra + thesis, afirmação. Consiste no emprego de palavras ou expressões de sentidos opostos para caracterizar um mesmo elemento que acabam por realçar o contraste de significados.
"Não desejei senão estar ao sol ou à chuva"
"Senhor calor e frio"
"E não ir mais longe" (Fernando Pessoa).

Eufemismo
Do grego oeufemistós, fizer bem dizer agradavelmente consiste na suavização da linguagem, evitando-se o emprego de palavras  ou expressões consideradas desagradáveis por quem enuncia o discurso.
Era uma estrela divina.
Que  ao firmamento voou!  (Álvaro de Azevedo)
Para não dizer que a pessoa morreu.

Ironia
Do grego eróneo, interrogação.  Consiste em dizer o contrario do que se pensa, normalmente com intenção sarcástica.
Moça linda bem tratada.  Burra como uma porta.  Um amor   ( Três séculos de família.

Hipérbole
Do grego hiperbolê, lançar, sobro.  caracteriza-se pelo exagero da linguagem, a fim de intensificar uma idéia.
O Pensamento teve lá um turbilhão de lavas.


Prosopopéia, personificação ou animização 
Do grego prosopoliía, personificação.  Consiste  na atribuião de características humanas a seres inanimados ou irracionais.
O mar jaz; gemem  em segredo os ventos.

Gradação
Consiste em organizar uma seqüência de idéias em sentido  crescente (clímax) ou decrescente (anticlímax).
O primento milháo possuído excita, acirra, assanha a gula de um milionário  (Olavo Bilac).

Apóstrofe
Do grefo apostrepho, desvio. Figura que consiste em interromper a  frase para se interpelar, para se invocar algém ou algo.
"Liberdade, liberdade abre as asas sobre nós" (Osório Duque Estrada).

Paradoxo
Trata-se de uma antítese com maior intensidade no contraste de idéias que mais reúne (ou associa)  do que opõe idéias contrastastes.
"AMOR É FOGO QUE ARDE SEM SE VER.
É FERIDA QUE DOI E NÃO SE SENTE".
(Luis Vaz de Camões).

Figuras de construção ou de sintaxe
As figuras de construção ou desintaxe caracterizam-se por apresentarem determinadas mudanas  na estrutura comum   DAS ORAÇÕES.
  • Anástrofe 
  • Hipérbato                        
  • Elipse
  • Zeugma
  • Pleonasmo
  • Polinssínteto
  • Assíndeto
  • Anacoluto
  • Anáfora
  • Silepse.
Anástrofe
É a inversão da ordem dos temas da oração.  Trata-se, normalmente, de uma inversão simples do sujeito e do predicado.
Ex: Já vinha  a manhã clara.

Hipérbato
Do grego hipérbaton, inversão, transposição  Trata-se de uma inversão mais complexa de que a anástofe.
Porque a alteração na ordem dos termos da oração é mais acentuada.
Vendo o triste pastor que  com enganos lhe fora assim negado a sua pastora.

Elipse
Do grego élleipsis,  omissão.  É  a omissão de uma ou mais palavras, sem que se comprometa o sentido da frase.
Uma flor, o Quincas Borba.  (Machado de Assis).

Zeugma
Do grego zêugma, junção.  É a omissão de uma ou mais palavras já expressas anteriormente na frase.
"Uma parte de mim é multidão  outra parte estranheza e solidão".  (Ferreira Gullar).

Pleonasmo
Do grego pleonasmós, superabundância. Consiste na repetição de um termo, para  realçar seu sentido.
"A flor que  atiraste quisera trazê-la ao peito".  (Cecília Meireles).

Polissíndeto
É uma figura caracterizada pela repetição das conjunções coordenativas.
É a névoa e flores e o doce ar cheiroso
Do amanhecer na serra,
E o  céu azul e o manto nebuloso
Do céu de minha terra.

Assíndeto
É uma figura caracterizado pela ausência, pela omissão da  conjunções coordenativas.
"Soltei a pena, Moisés dobrou o jornal,Pimentel roeu as unhas"(Graciliano Ramos)

Anacoluto
Sem ligação, sem conseqüência.  Modificação da  estrutura regular de uma oração.  Expressão solta, sem ligação sintática com os outros termos.
"Eu não importo a desonra do mundo"
(Camilo Castelo Branco).

Anáfora
Do grego ana, repetição + phorá, que conduz, que  leva.  Consiste na repetição de uma ou mais palavras no inicio de vários versos (na prosa, no início de orações ou períodos.
Se você gritasse
Se você gemesse
Se você tocasse
A valsa vienense
(Drummond).

Aliteração
Consiste na repetição de um mesmo fonema para realçar determinado som  ou dar ritmo à oração ou verso.

<<<<<<<------------------------Assonância----------------------->>>>>>>

Silepse
Consiste na concordância feita com um termo que está submetido e não com o termo que aparece claro na oração.
Toda a equipe comemoramos o sucesso das vendas.


Fonte: Professora Soraia,
Participação de publicação: Mara Xavier, Alan Vaz e Marcos Oliveira.

4 comentários: